FOCO NA INDUSTRIA NUCLEAR

APIEstudo de CasoLeave a Comment

Os lasers Trackers RADIAN API são usados em centros de pesquisa para tarefas de montagem e controle geométrico na construção de reatores de fusão nuclear.

Fusão Nuclear: Metrologia 3D Baseada em Laser da API

Os sistemas de medição em laser API foram firmemente estabelecidos há algum tempo como essencial em pesquisa sobre fusão nuclear.

Aplicação do Laser Tracker API em um dispositivo de reator de fusão.

A experiência de fusão do Instituto Max Planck Greifswald é fundamentada no princípio do stellarator. O dispositivo de plasma que suporta até 100 milhões de graus, lembra um tubo interno torcido e vazio. Durante a produção, os módulos individuais do dispositivo de plasma também são acessíveis na parte externa. Na fábrica, as bordas complexas podem ser verificadas por fora com os Lasers Trackers RADIAN API. Os Lasers Trackers RADIAN API são ultra-compactos, podem ser colocados no próprio reservatório de plasma e ser instalados através das aberturas estreitas de acesso. Em comparação à fotogrametria, o uso do RADIAN economiza tempo de processo e proporciona também resultados de medições mais precisas.

Aplicação do Laser Tracker API em um dispositivo de reator de fusão

Uso de Lasers Trackers API na Construção de Reatores de Fusão

Atualmente, os Lasers Trackers RADIAN também são utilizados na construção e montagem da fusão nuclear.

O objetivo da pesquisa de fusão nuclear é reproduzir os processos de fusão que observamos no coração das estrelas e no sol. O Iter é um reator de fusão nuclear em construção e um projeto internacional de pesquisa com o objetivo de produzir eletricidade a partir da energia de fusão.

O reator é baseado no princípio do tokamak e está em construção no Centro de pesquisa nuclear Cadarache, no sul da França, desde 2007. A equipe da API orgulha se de ser um fornecedor de soluções em medições 3D para este ambicioso projeto. Os lasers Trackers RADIAN API são usados diariamente para tarefas de montagem e controle geométrico.

ITER Cryostat: Medições com Laser Tracker API e vProbe (montado em um suporte de 29m).

Potência de Fusão de 500 MW

O Iter deverá gerar 500 MW de potência de fusão com uma potência de entrada de 50 MW. De acordo com os planos atuais (a partir de janeiro de 2020), a instalação está programada para gerar plasma de hidrogênio pela primeira vez em dezembro de 2025.

Por volta de 2035, as experiências se tornarão mais realistas com o uso do trítio, mas também mais difíceis devido à radiação de nêutrons.

Reator de fusão ITER e Kryostat ITER

Parte do reator ITER é um recipiente vácuo, uma câmara toroidal vazia, na qual o plasma é confinado. Os eletroímãs supercondutores fornecem os campos magnéticos necessários para manter o plasma girando dentro do dispositivo sem tocar as paredes internas. O tokamak é encerrado em um criostato que isola as partes quentes internas dos ímãs supercondutores, que são resfriados.

O criostato ITER é soldado a partir de chapas de aço inoxidável de parede grossa com espessura de 40 a 180 milímetros. É a maior câmara de alto vácuo de aço inoxidável do mundo. O seu peso é de 3.400 toneladas. O diâmetro externo é de 28 metros, a altura é de 30 metros. Sem a tecnologia de medição a laser, a montagem e instalação não seria possível.

Fácil Relocalização

Sistemas de medição compactos como Laser Tracker RADIAN e vProbe não precisam ser movimentados por guindaste, portanto, não necessitam ser desconectados da fonte de alimentação ao se deslocarem. A calibração de um sistema de coordenadas hall – essencial para a construção de reatores de fusão nuclear e a montagem de seus componentes – é facilitada pela simples montagem do Laser Tracker RADIAN em um suporte especial de 29 metros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *